REGULAMENTO SUPLEMENTAR

REGULAMENTO SUPLEMENTAR- 2022

AUTORIDADES DA PROVA

Presidente do Júri: Marcos Rogério Moreira – Presidente FPM

Comissários Desportivos: Nino Bernucci

Comissário Técnico: Joá Bicudo

Cronometragem: Time Racing Cronometragem Esportiva

Chefe de Cronometragem: Diego

Médico Responsável:

Secretário da Prova: Mauricio D’Azeredo Orlando

Organizador: Associação Paulista de Enduro e Rally

                     Racing Adventure

Supervisão: Federação Paulista de Motociclismo

Evento: 1ª. Etapa do Campeonato Paulista APER Cross Country 2022

Data: 01,02 E 03 de julho de 2022

Local: Jarinu – SP – Pista Race Park

Diretor de Prova: Nino Bernucci

1 – O Campeonato Paulista APER de Cross Country é organizado pela Racing Adventure/Associação Paulista de Enduro e Rally, supervisionado pela Federação Paulista de Motociclismo, em quatro (04) etapas, a serem realizadas conforme calendário abaixo, valendo pontos para o Campeonato Paulista de Cross Country.

Campeonato Paulista APER de Cross Country em três (04) etapas de acordo com calendário abaixo:

1ª etapa – dias 01,02 e 03 de julho de 2022.

2ª etapa – dias 09,10 e 11 de setembro de 2022.

3ª etapa – dias 04,05 e 06 de novembro de 2022. (etapa dupla para as Motos – 6 horas)

4ª etapa – dias 11,12 e 13 de novembro de 2022 (etapa dupla UTVs – 4 horas)

2 – PILOTOS

A participação no evento é restrita aos portadores de licença válida da FPM/CBM para o ano.

Aos pilotos estrangeiros segue o regulamento item 2 da Confederação Brasileira de motociclismo.

3 – MOTOCICLETAS, IDADE E CLASSES                           

ClasseMotocicletaCategoria
XC1 –Motos  2T até 220cc e  4T até 250ccLivre
XC2-Motos  2T acima de 220cc e  4T acima de 251ccLivre
XC3 – Over 35 anosLivrePilotos com 35 anos completos
XC4 – Over45 anosLivrePilotos com 45 anos completos
XC5 – Over 55 anosLivrePilotos com 55 anos completos
XCI1 – IntermediariaMotos  2T até 220cc e  4T até 450ccLivre
XCI2 – IntermediariaMotos  2T acima de 220cc e  4T acima de 251ccLivre
XCNA – Nacional ALivre para todas cilindradas, desde que fabricação Nacional.Livre
XCNB – Nacional BFabricação Nacional até 230cc 4TLivre
XCJr –Motos Nacionais ou ImportadasPilotos com até 23 anos completos
XCF -FemininaLivre para qualquer cilindradaLivre
Kids AMoto InfantilAté 05 anos
Kids BMoto Infantil          De 06 até 07 anos
Kids CMoto InfantilDe 08 até 09 anos
Kids DMoto InfantilDe 10 até 11 anos
Kids EMoto InfantilDe 12 até 13 anos
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Estreante / NovatosUTV’s  (Standard)Livre
IntermediariaUTV’s  (Standard)Livre
PróUTV’s  Preparação LivreLivre


Cada Categoria terá que ter no mimo 6 pilotos para largada

PROGRAMAÇÃO

10 – Horários do Evento

10.1 – Dia 02 de julho de 2022 – Sábado – Apenas UTV’S

HorárioClasseDuração
Das 8h as 9:30Vistoria e treino livre para todos UTVs 
10:30Estreante – 20 veículos40 minutos + 1 volta
12hIntermediaria – 20 veículos1 hora + 1 volta
14hPró1 hora + 1 volta


Obs.: Na classe Estreante/ Novato é considerado piloto que  não tenha participado de pelo menos 1 evento

10.2 – Dia 03 de julho de 2022 – Domingo – Motos

HorárioClasseDuração
7:30 as 9hVistoria para motos e treino livre 
9h30minXCN-A e B – XCjr – XCFMáximo de 1 hora
11h30KIDS A e B15’ + 1 volta
12hKIDS C,D, e E30’ + 1 volta
13h30minXC1- XC2 – XC3 – XC4 – XC5 – XCI1 – XCI22h + 2 volta

§ 1º – As motocicletas nacionais terão que ter no mínimo 100 motos fabricadas/ano em território nacional

§ 2º – Os pilotos da Classe XCN poderão disputar também na XCNF, concorrendo apenas aos troféus, sem, contudo, marcarem pontos no campeonato, e estarem inscritos nas duas categorias;

§ 3º – Os pilotos da Classe XC4 poderão disputar também na XC3, concorrendo apenas aos troféus, sem, contudo, marcarem pontos no campeonato, e estarem inscritos nas duas categorias;

3.1 – UTVS

§5º – Estreante / Novatos e Intermediaria

A Classe  é considerada a categoria de acesso a modalidade, podendo ser turbo ou aspirado. O chassi deve ser original e são permitidos reforços.

Os pilotos campeões e vice-campeões da categoria obrigatoriamente trocam de categoria no ano seguinte, deixando a competição mais dinâmica.

Para participar da Classe estreante/ Novato e Intermediaria, o UTV precisa ser original de fábrica e disponível no mercado brasileiro. O motor deve ser aspirado e com livre preparo obedecendo ao limite máximo de 1050cc.

§6º – PRÓ

A categoria pró  permite a participação de pilotos pró e UTV’s originais de fábricas disponíveis no mercado nacional. O motor é livre para preparo e deve obedecer ao limite máximo de 1299cc, porém pode haver adição de carga no turbo. O chassi também deve ser de fábrica, mas é permitido reforços. Para participar da categoria pró, o UTV precisa ser original de fábrica e disponível no mercado brasileiro. O motor deve ser aspirado e com livre preparo obedecendo o limite máximo de 1299cc.

3.2 – ESCOLHA DA MOTOCICLETA

§1º – Será permitido no máximo, 2 (duas) motos para cada piloto

§2º – Os pilotos podem trocar de motocicleta entre e durante os treinos, podendo ser efetuada a troca dentro do Pit Lane.

§3º – Os Pilotos poderão utilizar a moto reserva na volta de reconhecimento.

4 – NÚMEROS DE LARGADA

§1º Os pilotos utilizarão números de acordo com uma reserva feita na CBM, por todo o ano. A preferência do número obedece aos critérios: 1º a participação no campeonato brasileiro de CX no ano anterior, 2º data da licença/renovação.

§2º – É obrigatório usar número de largada dorsal, que deve ser legível, de fácil visualização e de material durável. A falta de numerais legíveis acarretará em penalizações de 20 segundos na prova.

5 – PERCURSO

5.1 – No CROSS COUNTRY a pista do evento poderá incluir trilhas, atalhos, estradas, morros, trechos de lama, trechos de Motocross ou qualquer tipo de terreno.

5.2 – A pista será aberta para inspeção na sexta feira as 15h00min. Participantes (Inscritos) poderão percorrer a trilha apenas a pé ou de bicicleta.

5.3 – Marcar, mexer ou cortar de qualquer maneira a pista é estritamente proibido. Modificações somente poderão ser realizadas pela Comissão Técnica. Caso contrário, estará sujeito à penalização ou desclassificação.

5.4 – Apenas pilotos inscritos e comissão técnica poderão percorrer a pista durante a corrida.

6 – OFICIAIS

6.1 – Júri

§1º – O Júri da prova será composto por três membros e estes serão nomeados pela Federação Paulista de Motociclismo, que serão reconhecidos como comissários representantes da CBM/Federação.

6.2 Diretor de Prova

6.2.1: O Diretor de Prova tem o direito, sob sua própria iniciativa, por razões urgentes de segurança, ou caso de força maior, paralisar uma prova prematuramente ou cancelar uma parte ou todo o evento. Se uma prova é parada qualquer momento durante a primeira metade do tempo previsto de prova, haverá uma nova largada completa, com a participação dos pilotos que ainda estiverem na prova. Os pilotos retornarão para os boxes e a nova largada acontecerá 30 (trinta) minutos após a paralisação da prova.

6.2.2: O Diretor de Prova pode excluir um ou mais pilotos de participarem da nova largada, no caso de serem julgados culpados pela paralisação da prova. Se uma prova é paralisada depois de transcorrida a primeira metade do tempo previsto de prova, a prova será considerada completa. A ordem de chegada será baseada na colocação dos pilotos na volta anterior a que a bandeira vermelha foi mostrada. O (s) piloto (s), indicado (s) pelo Diretor de Prova como responsável (eis) pela bandeira vermelha, será (ão) colocado (s) atrás dos demais pilotos, tendo completado um número igual ou maior de voltas.

Parágrafo único: As ações serão interpretadas pelos oficiais responsáveis de acordo com a legislação desportiva vigente e os regulamentos esportivos específicos da CBM. Aquelas consideradas como antidesportivas, ou em desacordo com os interesses do esporte ou do evento em questão, estão sujeitas a sanções disciplinares previstas pelo Código Brasileiro de Justiça Disciplinar e Desportiva.

 7 – INSCRIÇÕES

7.1 – As inscrições serão feitas através do site www.aperbrasil.com.br antecipadamente até dia 29 de junho ou na secretaria da prova no local, na sexta feira dia 01 de julho a partir das 10h e no sábado dia 02 de julho e domingo dia 03 de julho a partir das 7h.

O valor da inscrição para Classes XC1, XC3, XC4, XC5, XCN e XCNF, será de R$200,00 (duzentos reais).

O valor de inscrição para Classe Kids R$50,00 (cinquenta reais).

O valor de inscrição para Classe Feminina  R$100,00 (cem reais).

O valor de inscrição para Classe UTV’S R$500,00 (quinhentos reais)

OBS.: Os valores acima serão para inscrições antecipadas, a partir do dia 08 de julho, as inscrições sofrerão um acréscimo de 50%.

Os dados para pagamento estão na programação no site www.aperbrasil.com.br

A inscrição não é reembolsável.

A inscrição só estará ativa após confirmação de pagamento.

A inscrição ao ser paga, em sua devida categoria, será de total responsabilidade dos competidores, não havendo restituição do valor pago em inscrições feitas fora das regras, ou por não comparecimento ao evento por quaisquer que seja a justificativa.

7.2 – Condições de inscrição

7.2.1 – Para o Campeonato Paulista 2022, será obrigatória a licença CBM/FPM válida, no caso de filiação nova o piloto deve enviar a CBM/FPM ou entregar na secretaria da prova, conforme modelo disponível no site da CBM, os seguintes documentos:

a) Termo de uso e cessão de Imagem;

b) Termo de responsabilidade quando menor de 18 anos assinado pelo representante legal;

c) Atestado Médico de aptidão para a prática desportiva.

8 – LINHA DE LARGADA

8.1 – Serão permitidos, no máximo, 30 (trinta) pilotos para largar em cada classe.

§ único -A seleção destes pilotos dar-se-á por Decisão do Júri da Prova.

9 – TREINOS

9.1 – Não haverá treinos, apenas reconhecimento de pista a pé ou de bike, na sexta feira dia 08 de julho a partir das 15h.

10 – Horários do Evento

10.1 – Dia 02 de julho de 2022 – Sábado – Apenas UTV’S

HorárioClasseDuração
Das 8h as 9:30Vistoria e treino cronometrado 
10:30Estreante – 20 veículos60 minutos + 2 voltas
12hIntermediaria – 20 veículos90 minutos + 1 volta
14hPró90 minutos + 2 voltas

Obs.: Na classe Estreante/ Novato é considerado piloto que  não tenha participado de pelo menos 1 evento

HorárioClasseDuração
 

11 – Provas

§1º – Os pilotos têm 10 minutos para terminar uma corrida após o vencedor receber a bandeirada final.

§ 2º – Exceto em caso de falsa largada, uma prova pode ser recomeçada somente uma vez. Se for necessário ser dada largada por mais de uma vez, e se 15 (quinze) minutos não tiverem sido transcorridos, a prova será considerada nula e inválida.

§ 3º – Os procedimentos de largada serão explicados no briefing de pilotos.

12 – LARGADAS FALSAS

§ 1º – Todas as largadas falsas serão indicadas por 1 (uma) bandeira vermelha agitada.

§ 2º – Os pilotos deverão retornar para a zona de espera e a nova largada acontecerá assim que possível.

13 – INTERRUPÇÃO DE UMA PROVA

§1º – O Diretor de Prova tem o direito, sob sua própria iniciativa, por razões urgentes de segurança, ou caso de força maior, paralisar uma prova prematuramente ou cancelar uma parte ou todo o evento.

§2º – Se uma prova é interrompida até que a segunda volta tenha sido completada uma nova largada será realizada imediatamente, sendo a troca de motocicleta proibida.

§3º – O Diretor de Prova pode excluir um ou mais pilotos de participarem da nova largada, no caso de serem julgados culpados ela paralisação da prova.

§4º: Se uma prova é paralisada depois de transcorrida a primeira metade do tempo previsto de prova, a prova será considerada completa. A ordem de chegada será baseada na colocação dos pilotos na volta anterior a que a bandeira vermelha foi mostrada. O piloto indicado pelo Diretor de Prova como responsável pela bandeira vermelha, de forma intencionada, será colocado atrás dos demais pilotos, tendo completado um número igual ou maior de voltas.

14 – ASSITÊNCIA EXTERIOR, CORTE DE PERCURSO.

§1º – Tomar atalhos no percurso é proibido.

a) Pena: Perda de 20 segundos do seu tempo total de prova, perda de até 5 posições ou exclusão da prova, dependendo do entendimento do Diretor de Prova.

§2º – Ultrapassar sob bandeira amarela.

a) Pena: Perda de 20 segundos do seu tempo total de prova, perda de até 5 posições ou exclusão da prova, dependendo do entendimento do Diretor de Prova.

§3º – Se o piloto que obtiver vantagem sob bandeira amarela e devolver a posição imediatamente não haverá punições.

§4º – É expressamente proibido ao piloto andar em sentido contrário à prova, sob pena de DESCLASSIFICAÇÃO.

§5º – Os pilotos deverão trafegar em velocidade reduzida quando estiverem andando na área dos boxes e sempre deverão utilizar capacete, sob pena de desclassificação.

§6º – Não é permitido que nenhum espectador transitasse, nas pistas.

15 – SINAIS OFICIAIS

 §1º – Os sinais oficiais devem ser dados por meio de bandeiras medindo aproximadamente 750 mm X 600 mm, como segue:

Bandeira                                                                 Significado

Vermelha agitada                               Parada imediata para todos os pilotos.

Preta   agitada   acompanhada

 de   um quadro com o número

de um piloto

                                                      O referido piloto deverá parar imediatamente no pit lane.

Amarela fixa                                      Perigo, pilotar com segurança.

Amarela agitada                               Perigo imediato. Devagar, não saltar, não ultrapassar,                         

                                                          preparar para parar, se necessário.

Azul agitada                                      Atenção, permita a passagem.

Branca com cruz vermelha            Atenção, pessoas e ou veículo de serviço médico na              

                                                                                                                                            pista.

Verde                                                Pista livre para a largada da bateria.

Xadrez (Preta e Branca), agitada     Fim de prova ou treino.

§2º – A bandeira verde só poderá ser utilizada por um Oficial de largada durante o procedimento de largada.

§3º – A bandeira azul deve ser usada por Oficiais de sinalização suplementares, especializados para esta bandeira somente.

§4º – A bandeira xadrez (preta e branca), mostrada junta com a azul, significa que a xadrez é para o líder que está vindo atrás.

16 –VERIFICAÇÃO FINAL

§1º – Imediatamente após a prova de cada classe, as primeiras 5 (cinco) motocicletas/UTVs serão colocadas em um parque fechado para controle técnico.

§2º – Todas as motos e capacetes de pilotos deverão ser inspecionados antes da Corrida, para que sejam verificados os itens de cronometragem, número correspondente ao piloto e ao equipamento. Os equipamentos de segurança da moto são de responsabilidade exclusiva do piloto.

§3º – Todas as motos deverão ter um botão de corta corrente.

§4º – A Cronometragem devera eletrônica. Será obrigatório o uso de transponder para todos os pilotos. Os mesmos poderão receber um “transponder” na vistoria técnica com um número de identificação, que será colocado na bengala com suporte. O piloto é responsável pelo “transponder” em todas as circunstâncias, pelo seu funcionamento e perda.

17 – CONDUTA DO PILOTO

§1º – Os pilotos são proibidos de levar combustível, durante os treinos ou corridas, que não esteja dentro do tanque da sua moto.

§2º – Se um piloto deixar a pista por qualquer motivo, ele deverá reingressar na pista pelo mesmo local de onde saiu, caso contrário, estará sujeito à penalização ou desclassificação.

§3º – Pilotos deverão permanecer na pista demarcada. A pista deverá ser sinalizada por faixas, bandeiras ou setas coloridas em locais visíveis seguindo os padrões da CBM.

§4º – Os pilotos não poderão cortar a pista quando tiver um bumping sinalizando a curva. Caso contrário, estará sujeito à penalização ou desclassificação.

§5º – Todo abastecimento ou reparo durante treinos ou corridas só poderá ser feito na área de pit Lane.

18 – RESULTADOS

§1º – O vencedor de uma prova é o piloto que atravessar a linha de chegada em primeiro lugar. No momento em que uma motocicleta atravessar uma linha de controle será registrado quando a parte mais avançada que ela atravessar a linha.

 §2º – Ao final do campeonato será proclamado campeão, o piloto que houver somado o maior número de pontos em cada categoria. §3: O campeão e o vice das categorias intermediárias sobem para as suas categorias principais respectivas no próximo ano.

19 – PONTUAÇÃO CAMPEONATO PAULISTA DE CROSS COUNTRY

§1º – Cada prova válida marcará pontos independentes para o Campeonato.

§2º – O critério de desempate para o campeonato é para o piloto que tiver mais vitórias. Persistindo o empate, a preferência será para o piloto que tiver mais segundos lugares, e assim por diante. Caso ainda persista o empate, a preferência será dada ao piloto mais bem colocado na última prova, e assim por diante em ordem inversa de prova.

 §3º – Um piloto não será classificado se ele: Não tiver obtido, pelo menos, 50% do número de voltas do líder. Todos os resultados devem ser homologados pelo Diretor de Prova.

 §4º – Os pontos serão atribuídos para o Campeonato Paulista de Cross Country em cada bateria válida como segue:

01º lugar – 25 pts06º lugar – 15 pts11º lugar – 10 pts16º lugar – 05 pts
02º lugar – 22 pts07º lugar – 14 pts12º lugar – 09 pts17º lugar – 04 pts
03º lugar – 20 pts08º lugar – 13 pts13º lugar – 08 pts18º lugar – 03 pts
04º lugar – 18 pts09º lugar – 12 pts14º lugar – 07 pts19º lugar – 02 pts
05º lugar – 16 pts10º lugar – 11 pts15º lugar – 06 pts20º lugar – 01 pts

20 – PROTESTOS E PENALIZAÇÕES

§1º – Os protestos contra pilotos, motocicletas e atitude antidesportiva deverão ser feitos por escrito pelo Piloto ou Chefe de Equipe (este deverá ter procuração do piloto que deverá ser entregue na secretaria de prova) e entregue ao Diretor de Prova, até 30 minutos após a bandeirada de chegada do vencedor da prova.

§2º – Reclamação contra resultado deve ser apresentada ao Diretor de Prova dentro de 30 minutos seguintes à divulgação dos resultados;

 §3º – Todos os protestos devem ser feitos por escrito e ESPECÍFICADOS POR ITEM, e acompanhados por uma taxa de R$ 2.000,00 (dois mil reais), por cada item;

§4º – Os protestos serão avaliados pelo Júri da Prova. Em caso de procedência, o valor será devolvido ao reclamante, caso contrário, reverterá a favor da FPM, ou no caso de reclamação técnica, 50% para a equipe reclamada.

 §5º – Os protestos contra decisões do Diretor de Prova serão julgados pelo Júri de Prova;

 §6º – Os protestos contra decisões do Júri de Prova serão julgados pelo Tribunal de Justiça desportiva da FPM acompanhados de uma taxa de 20 (vinte) salários mínimos;

 §7º – Os casos omissos a este Regulamento serão julgados de acordo com o Regulamento da FIM;

 §8º – Os pais de pilotos somente poderão fazer protestos por escrito se for portador da procuração do piloto (filho) no qual ele representa como Chefe de Equipe.

§ 9º: O Diretor de Prova e/ou os membros integrantes da FPM, não aceitarão protestos verbais do piloto ou membros de sua equipe, caso isso ocorra, o piloto será sumariamente desclassificado da prova;

 21 – CERIMÔNIA DE ENTREGA DE PRÊMIOS

 §1º – Os cinco primeiros colocados em cada bateria, deverão se dirigir ao pódio IMEDIATAMENTE após o término da bateria, sem conceder entrevistas, ou qualquer outro ato que provoque atraso na premiação.

 §2º – Entrevistas coletivas serão organizadas na sala de imprensa logo após a premiação, sendo OBRIGATÓRIA a presença desses Pilotos.

 22 – TROFÉUS

§1º – Os três primeiros colocados de cada prova válida deverão ser premiados com troféus no pódio. O Piloto que não se apresentar ao pódio, salvo por algum motivo, de queda ou atendimento médico, não terá direito a premiação referido.

 23 – AUTORIDADES DO EVENTO

§1º – Desde o início da Vistoria até o início das provas, bem como após as provas até a Homologação final dos resultados, o evento está sob a autoridade do Júri de Prova.

 §2º – Durante as provas cabe ao Diretor de Prova a autoridade sobre o evento.

 §3º – Este regulamento poderá ser alterado pela Comissão de Cross Country da FPM, ressalvados direitos adquiridos, sendo que qualquer alteração ou atualização será obrigatoriamente publicada e divulgada em adendo.

 §4º – Os Casos Omissos a este regulamento serão decididos em conformidade com os regulamentos da CBM naquilo que não colidirem com as diretrizes esportivas brasileiras.  

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.